segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Por Você.


Por Você
Eu dançaria tango no teto
Eu limparia
Os trilhos do metrô
Eu iria a pé
Do Rio à Salvador...

Eu aceitaria
A vida como ela é
Viajaria a prazo
Pro inferno
Eu tomaria banho gelado
No inverno...

Por Você!
Eu deixaria de beber
Por Você!
Eu ficaria rico num mês
Eu dormiria de meia
Prá virar burguês...

Eu mudaria
Até o meu nome
Eu viveria
Em greve de fome
Desejaria todo o dia
A mesma mulher...

Por Você! Por Você!
Por Você! Por Você!

Por Você!
Conseguiria até ficar alegre
Pintaria todo o céu
De vermelho
Eu teria mais herdeiros
Que um coelho..

Eu aceitaria
A vida como ela é
Viajaria à prazo
Pro inferno
Eu tomaria banho gelado
No inverno...

Por Você! Por Você!
Por Você! Por Você!
Por Você! Por Você!
Por Você! Por Você!
Por Você! Por Você!

Um certo alguém.


Quis evitar teus olhos
Mas não pude reagir
Fico à vontade então
Acho que é bobagem
A mania de fingir
Negando a intenção

E quando um certo alguém
Cruzou o teu caminho
E te mudou a direção

Chego a ficar sem jeito
Mas não deixo de seguir
A tua aparição

E quando um certo alguém
Desperta o sentimento
É melhor não resistir
E se entregar

Me dê a mão
Vem ser a minha estrela
Complicação
Tão fácil de entender
Vamos dançar
Luzir a madrugada
Inspiração
Pra tudo que eu viver
Que eu viver, uoh, uoh

E quando um certo alguém
Desperta o sentimento
É melhor não resistir
E se entregar

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Pode ser fatal.

Não fale de amor
Não diga bobagem
Não prometa o que não vai cumprir
Eu já sei de cor
Toda essa viagem
E sei que não é fácil decidir
Mas seja o que for
Tome cuidado
Aparentemente não faz mal
Brincar de amor
Mas é complicado
E qualquer erro pode ser fatal
Não fale demais
Não se desespere
Tudo tem a hora e o lugar
Não volte atrás
Agora,espere
Procure aprender como se faz.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Vim para dizer.


Não escolho nenhum rosto para olhar, não escolho caminho.
Acontece apenas de eu estar aqui e estar tudo bem.
Grama verde, olhos azuis, céu cinza.
Deus abençoe a dor silenciosa e a felicidade,
Eu vim para dizer sim e digo.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Se alguma vez te falei.


Quando eu achava que nada poderia mudar na minha vida você apareceu, se sentou do meu lado, puxou assunto. Falamos de filmes, de musicas, de comidas, de bebidas, da vida alheia. Falamos mal da menina da frente, do cabelo de fulano, da atitude de cliclano, resmungamos da aula de física, reclamamos de ter que acordar cedo, de ir dormir tarde, do trabalho de artes. Em meio a tantas pessoas nós éramos iguais.

Fomos nos afastando dos outros, e sem perceber criando nosso próprio mundo. Eu abri as portas do meu coração e te deixei entrar. Te falei da minha vida, te contei meus problemas, meus segredos, desabafei, te apresentei alguns amigos, apresentei minha mãe, desenhei minha casa em um pedaço da mesa para você saber como era, te mostrei as musicas que eu mais gostava, os filmes que eu assistia, e em pouco tempo você virou o meu segredo.

Confiei em você e te deixei tomar conta do meu mundo, você o fez bem. Te esperei aflita todas as manhãs, ouvi fixamente cada palavra que você me disse, observei cada gesto que você cometeu, te desejei toda noite. Comemos, bebemos, tomamos sorvete, passamos horas no telefone, no parque, na avenida principal, no shopping, no ônibus, no cinema, no teatro, na padaria. Nos perdemos na rua, enfrentamos sol de quase quarenta graus e frio de quase cinco, não precisávamos de muito, só da presença.

Então começaram as brigas, brigas por que eu falei algo errado, por que você insinuou algo, por que eu não fiz tal coisa, por que você se atrasou para tal lugar, prometemos nos afastar, não se falar, esquecer o amor... Mas não, isso não era possível. Nunca cumprimos.

Lembro de você com aquela camiseta branca, sempre que você usava coincidia de eu usar a minha regata de rendas, a gente sempre foi assim de sair combinando, de falar as mesmas coisas, de coçar o olho ao mesmo tempo, de escolher as mesmas coisas, a gente era muito igual e muito diferente. Sempre achei que isso de ser diferente era o que nos deixava assim tão próximos, mas nunca tive essa certeza.

Hoje as coisas mudaram, né? Cada um foi para o seu canto, com os seus deveres, suas amizades, seus amores, seus amigos. Nosso mundo foi destruído e só o que restou foram lembranças boas e uma ferida mal cicatrizada. Ainda guardo algumas palavras suas na memória, e junto com elas carrego a recordação daquele momento no ponto de ônibus, não sei se alguma vez te falei, mas aquele foi o melhor momento que passamos juntos, o melhor abraço, as melhores palavras. E naquele momento eu te amei, mais do que antes, mais do que sempre.

Mas tudo bem, o tempo passa e a gente tem que aprender a conviver com as perdas, uma hora a gente se acostuma. Ambos saímos muito feridos, nos perdoamos, mas sinto que ainda resta sequelas. Espero que um dia elas passem de vez, e quem sabe não poderemos voltar a dar as mãos como naquele dia no parque. Eu ainda te amo, não importa o que você sente a respeito, não precisa ser recíproco nem nada. Eu não preciso disso. Eu só queria você perto, nem precisava ser tão perto, só o suficiente para eu enxergar seu rosto e me lembrar do seu sorriso que eu tanto gostava.



Ouvindo: Everybody Hurts - R.E.M

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Reverência ao destino.


Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.
Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.
Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.
Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.
Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais.
Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.
Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.
Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...
Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.
Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar, e aprender a dar valor somente a quem te ama.
Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.
Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.
Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta.
Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.
Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.
Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.
Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que se é realmente amado.
Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.
Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

Exagerado de tudo.


Amor da minha vida
Daqui até a eternidade
Nossos destinos
Foram traçados na maternidade

Paixão cruel desenfreada
Te trago mil rosas roubadas
Pra desculpar minhas mentiras
Minhas mancadas

Por que eu sei que nossas vidas são entrelaçadas, e eu só penso em você quando eu ando na calçada por que o que é forte ninguém separa.

Exagerado
Jogado aos teus pés
Eu sou mesmo exagerado
Adoro um amor inventado

Eu nunca mais vou respirar
Se você não me notar
Eu posso até morrer de fome
Se você não me amar

Por você eu desistia dos meus sonhos, eu cortava meu cabelo, eu deixava minhas loucuras, eu cantava na avenida, eu fazia poesia, eu pintava quadros, eu tirava o alargador, eu tomaria mais cuidado, eu amaria mais intenso, eu mudaria pra melhor.

E por você eu largo tudo
Vou mendigar, roubar, matar
Até nas coisas mais banais
Prá mim é tudo ou nunca mais

E por você eu largo tudo
Carreira, dinheiro, canudo
Até nas coisas mais banais
Prá mim é tudo ou nunca mais

Por que por você eu faço tudo, pra provar o meu amor eu mudo.